18.3.08

AllGarve...pois sim !!!!

Algarve é a famosa e conhecida terra de Portugal que só faz parte deste pais durante o verão e pouco mais. De Inverno somos considerados marroquinos ou então alentejanos que desceram demais…e ao dizer “somos” estou a contar comigo também pois embora provenha da “terra das tias”, já cá moro a muitos anos e de certo modo já faço parte do “rol” (mas só em algumas coisas).
Considero isto bastante agradável de viver mas há ca algumas coisa que de certo modo me tiram integralmente do sério, senão vejamos:

De à uns tempos para cá comecei a considerar o Algarve com a “terra dos que se forem, vierem-se e nã trazerem nada” pois se repararem não há mais terra menhuma neste nosso pais onde se utilizem os verbos todos no gerúndio ou em outros tempos que não passa pela cabeça do santinho dizer isto nestas ocasiões.
Como exemplo posso deixar esta frase:

“olha, se vires (leia-se vieres) a minha casa trazeres-me (leia-se traz-me) pão, nã te esqueças dos grizéus (leia-se ervilhas).”

Depois desta podemos ter coisas como certas doenças do género das Ursulas (úlceras), há quem tenha a Atensão baixa (tensão) e temos cá no Algarve medicamentos porreiros e nunca vistos noutro lado do mundo tais como o Aspergic (aspegic, a não ser que seja uma mistura de aspirina com aspegic, se for, nesse caso esta correcto)

Ainda para rematar esta conversa, neste caso não se ouve isto somente no Algarve, parece que esta a alastrar a moda de se falar mal (e fica bem) e usar palavras como:

Prontos ou prontes (podemos escolher a que nos apetecer)
ex.: “Prontes, ta feito!!!”

Qualqueres ou quaisqueres (aqui depende da vontade)
ex.: Pergunta- “Queres estas?”
Resposta- “Dá-me umas qualqueres!”

E para finalizar temos a palavra Inclusiver (com a variante Inclusivel)

Eu sei que vou levar mocada na rua depois de alguém vir aqui ler isto e me apanhar la fora…mas epa…
Tenham do.
Os professores embora não queiram ser avaliados (muitos bem mereciam chumbar e fazer a cadeira outra vez) tenho a certeza que ensinam os alunos a ..no mínimo dizer iogurte ao invés de ÒGURTE.

Tenho dito (estou pronto a sofrer as consequências mas ao menos falei)

3 comments:

Mokas said...

Moh! Atã Garras? agente quande fore à do Sô Joã emburcar umas mines, ê Digue ò sô joã, o queque tu disseste, ele dá-te trê quatre par de chapada ficas a cuspir tremoço durante trê Quatre Dias!
Deb!

medusasss said...

Garras, fazer dos professores os bodes espiatórias de toda uma nação não serve de nada. Aqui para cima os professores são mais ou menos os mesmo e fala-se bem...

Portanto, eduque primeiro os paizinhos, demais familiares e toda a sociedade em geral que falam assim, com regionalismos, e depois falamos de professores...

Agora não tenho dúvidas nenhumas que têm e devem ser avaliados, mas não nestes termos e da maneira como este processo vergonhoso está a ser conduzido!

Se aos professores não for reconhecido o respeito e a dignidade que a profissão exige, apesar das devidas excepções que mereciam um despedimento sumário, ninguém tem mão nas criancinhas mal educadas que andamos a criar, e que serão os adultos incultos e irresponsáveis de amanhã.
***

Garras said...

Minha cara medusasss, eu nao quis de forma alguma denegrir professores.
Aquilo foi somente um exemplo mas denoto que foi mal interpretado ao sentido que eu quis dar.
Estou completamente de acordo ctg em relacao a esse assunto..alias..acabaste de me dar uma ideia... aguarda!!! hehehe
beijocas e obrigado pela tua "marca" aqui.