22.3.08

Como é comum dizer-se, só se aceita (ou esquece) realmente algo ou alguém quando se é capaz de falar nesse mesmo assunto sem que venha as lágrimas ao olhos não é??
Pois bem…agora que já consigo falar no assunto parece-me que já esta na altura de colar aqui o meu pensamento de um dos dias mais complicados do meu o ano passado… parece que 2007 nao foi um ano agradavel para ninguem (de certo o Mokas concorda cmg embora por motivos, não só como tambem, BEM diferentes )

Rascunho datados as 02:43h do dia 12-10-2007

Gostava de ser capaz de dizer que te odeio por te amar, já não consigo parar as lágrimas que caem sem cessar, passo tempos, horas a pensar, sempre em ti só, num numero que quero esquecer, um nome que não quero lembrar, uma profissão que não quero saber e me dá raiva só de pensar…
Só pedi alguém que me amasse da mesma forma que eu…
Nunca te pedi mais que isso e vê no que deu!
Foste a única que amei…nunca por algo assim passei.
E agora tu nunca vais sentir o que tinha para te dar …e não dei!!!
Hoje já começo a estar contente por não to ter dado,
agora, desejo loucamente imaginar esse teu corpo nunca mais ser amado,
para sempre sozinha…vai ser esse meu prazer.
Vou passar por ti mais tarde e vou ver… tua alma chorar, e só aí vais ver, só aí vais abrir os olhos e reparar no que podias ter e não tens por andares de nariz no ar!!


Bem…hoje e passado 6 mesitos, já se consegue ver a coisa com outro ânimo e o que dantes dificultava a fala, agora já é motivo de risos e galhofa.
Custou..porra se custou… mas o tempo cura estas coisas todas, embora alguns passem por cima delas mais depressa…eu acho que isso depende da relação tempo/força de embate.

2 comments:

Mokas said...

Poix é, parece que 2007 foi um ano assim...excelente!
Mas enfim, sabe bem contemplar a vista depois de escalar a montanha.
Ah yah... antes de ter Moleskine usava o teu método.

medusasss said...

Pah, não há nada que o tempo não cure, e não há nada mais chato que a puta da indiferença!

***