2.4.09

É uma linha

...somente uma linha, pode ser um risco, mas ela está sozinha e isso é um risco.


Estou a vê-la ali sentada…não, antes deitada ao meu lado enquanto passo por ela pensando se será melhor esquecer ou por outro lado aproximar-me.

Sou curioso.

Decido chegar-me um pouco mais perto, atraído pelo brilho branco que a faz ser notada.

É diferente de tudo o que vi.

Opto agora por ver como reage ao ser tocada, testada…provada. Afinal, é uma linha.

Acho interessante.

O sabor não o sei, não sei se tem. O branco não me toca na língua mas no entanto vibra-me o corpo.

Acho interessante este risco branco.

É bom, muito bom o que me faz sentir e isso cria-me agora um crescente peso na consciência por me ter aproximado tanto da linha. Talvez demais. Demais sei que não faz bem, muito pelo contrário, “estraga muita coisa”.

Sinto o quão difícil é sair de la agora por gostar de todos os sons que me faz dançar imóvel, as vibracoes que me percorrem o corpo de cima abaixo e a sensação de vazio que deixa dentro dos meus pensamentos por não conseguir ouvir mais nada.

É demasiado bom…mas ”estraga muita coisa”.

Forço a minha baixa força de vontade agora para me fazer resistir à inércia e assim voltar ao meu caminho anterior.

Sinto que vou ser capaz de mudar o azimute e virar para outro lado.

Assim o faço e tudo volta ao normal…

Virei o volante deste destino.

Retirei as rodas de cima da linha branca da berma da auto-estrada.

Foi muito bom sentir mas tive de sair… “estraga muita coisa”…no carro!

3 comments:

Mokas said...

ora quanto ao conteúdo:
(^^)b

ora quanto à construção:
m(--)m

Garras said...

Sei que o conteúdo não é grande coisa mas é o que sai quando estas fechado dentro de quatro paredes numa terra de gente estranha...muito estranha.
Agora só espero que não seja como o ditado "primeiro estranha-se e depois entranha-se".
Abraço Bro

Mokas said...

oh meu grande animal!
o conteúdo tá Bom !
e a construção tá excelente!

(^^)V